És Sombra

Não és mais do que eu sou
Não existes para além de mim
És aquilo que eu te dou
Encerras tua vida no meu fim.

Vives uma vida de imitação
Não criando nada de novo
Não és mais do que um peão
Neste xadrez que eu jogo.

Segues-me por toda a parte
vais onde eu vou...
Eu sou a obra de Arte
e tu, algo que me copiou.

És pintada a uma só cor
És negro carvão.
No amor és a dor
Na amizade, a solidão.

És o resto de tudo
És a regra quebrada,
És eu, surdo-mudo
Sem mim
tu não és nada.

3 comentários:

Psipunisher disse...

Como sempre tudo bem escrito e com grande estilo que te identifica....POSTA MAIS!!!

Jeremias25 disse...

Obrigado. Estes textos já os fins há 1 ou 2 anos... quando dedicava algum tempo à escrita... Quando acabarem terei de escrever textos novos...

JonnySnakeSeven disse...

O Jeremias é um verdadeiro poeta, está mesmo muito bom.