Amador Vs Profissional

É unânime a distinção (de uma forma geral) de dois tipos de desportistas: O amador e o Profissional; onde a classe amadora é vista de forma negativa, aqueles que não são suficientemente bons…, que não chegaram a ser profissionais. Se analisarmos bem a palavra verificamos que a palavra amador, remete-nos aquele que ama o que faz, enquanto o profissional é aquele que através do desporto encontra uma forma de subsistir, porém, muitas vezes não retira prazer no que faz.
Todos nós sabemos a importância que o prazer assume no desempenho de qualquer actividade, é de conhecimento geral que se não retirarmos prazer do nosso trabalho este terá tendência a ser cada vez menos produtivo. O mesmo se passa no mundo do desporto.
Devido muitas vezes a processos de treino intensificados de forma precoce o atleta vê-se cansado/desmotivado, podendo mesmo levar ao abandono da modalidade e nos casos em que o atleta não abandona, torna-se num possível profissional, isto é num atleta que não irá desfrutar da sua profissão, nem rentabilizará o seu rendimento sendo isso negativo tanto para atleta como para o sistema desportivo.
E cada vez mais parece-me ser esta a realidade do nosso desporto, inúmeros são os casos de atletas profissionais que demonstram falta de motivação ao nível da competição, tanto no terreno de jogo como em afirmações à imprensa. Pensem no caso dos J.O.
Porém acredito que será possível, com o acompanhamento adequado, um profissional retirar prazer no que faz. A esse tipo de atleta chamo de o “atleta profissional-amador”. Este na minha opinião é o “segredo” (se é que este existe) de todo o sucesso desportivo, mais do que a técnica, a táctica ou o físico é o prazer que influencia acção.


Nota: este texto apresenta opiniões/reflexões do autor devendo por isso ser analisadas apenas nesse sentido.

2 comentários:

Jeremias25 disse...

Não podia estar mais de acordo Lord. Quantos casos se conhecem que o Amor à "Camisola" bate aos pontos o Amor à "Peseta" no campo de jogo...

É preciso amar-se o que se faz para se ser verdadeiramente bom nisso. É claro que treinos intensivos podem formar um grande atleta, mas um extraordinário atleta, um fora-de-série, tem de ser, primeiro que tudo apaixonado pelo que faz.

Psipunisher disse...

Isto é verdade, por vezes(quase sempre) o dinheiro mexe mais que a vontade de fazer aquilo que nos gostamos.....